31 de janeiro de 2012

Make up: Lilly Collins inspired

Olá meninas, 
viver sem internet não é fácil, este tutorial já está pronto há um bom tempo, mas não conseguia postar de modo algum. Até pelo Iphone eu tentei e não consegui. Enfim, chega de papo furado, que a internet voltou e eu quero mostrar logo pra vocês essa maquiagem linda em tons de marrom com preto. 

Quando vi essa maquiagem da Lilly Collins no filme "Sem saída" (Abduction) quase pirei. Postei até na página do blog no facebook e comecei a tentar algo parecido. Gostei muito da proposta, do cantinho com preto e de lápis em volta de todo olho. Coloquei um pouquinho mais de drama e pronto: O tutorial abaixo.


Como fazer:



Produtos usados nos olhos:
  • Paleta de sombras 78 cores Nyx.
  • Sombra Jordana, cor: Black.
  • Pincéis sigma.
  • Lápis de olho preto Tracta.
  • Máscara The Falsies, Maybelline
Resultado Final

Produtos usados no rosto:
  • Base Face and Body MAC, cor N3.
  • Corretivo Concealer in a jar Nyx, cor Light.
  • Pó compacto Super Natural Maybelline, cor natural.
  • Blush Peaches MAC.
  • Batom Vegas Volt MAC.
Espero que tenham gostado da maquiagem, é bem simples de fazer e rapidinha. Vale a pena pra uma festa ou sair a noite. 

Beijos,

26 de janeiro de 2012

Tendência de maquiagens- Inverno 2012

Olá meninas, 
O SPFW e Fashion Rio passaram, os posts sobre desfiles acabaram. Mas agora vamos falar sobre outra coisa, além das roupas, que viram tendência, são as maquiagens usadas nos desfiles. O legal que pela rapidez que as makes devem ser feitas, em sua maioria são mais básicas e fáceis de reproduzir. Já as mais conceituais e elaboradas indicam um caminho que podemos seguir adaptando ao dia a dia. 
Seperai as melhores fotos dos desfiles das duas semanas de moda e troxeu para vocês separados por tendência.

Boca Marcada

A boca em tons fortes ou escuro vem com tudo. Destaque para os tons de vinho e o vermelho clássico. 
FH por Fause Haten Misturou batom com gloss usado com junto com um olho bem esfumado em tons de marrom. Já a Colcci e a Patachou usaram junto com seus batons fortes um make super natural, seguindo aquela velha regra: boca tudo x olho nada. Vermelho e vinho respectivamente, ambos com acabamento matte.

Super Natural

A maquiagem natural já foi tendência no verão, e continuou forte no inverno, muitos desfiles apostaram neste visual, o famoso "make de bonita". A cantão a make foi realmente nada, enquanto Fernanda Yamamoto acrescentou algumas cores bem leves como o blush coral, a sombra levemente rosada e cílios marcados. A Amapô também seguiu essa linha, mas incluiu o gloss e os rímel preto na composição da make.
Para você conseguir o resultado em casa uma base bem levinha e corretivo para as pequenas imperfeições.

Olhos Coloridos

As cores da estação sempre se refletem nas cores dos makes, principalmente nas sombras. O colorido mais visto foram os tons de azul e de laranja. A New Order investiu num azul pastel com um toque de neon, ideal para as mais modernas. A Coca Cola Clothing apostou em outro tom de azul, mais escuro, numa sombra cremosa cheia de glitter, ideal para usar um olhão marcado saindo do comum do preto ou marrom. Já Lino Villaventura foi mais conceitual usando a sombra laranja somente na parte interna dos olhos misturado com um batom roxo aplicado no centro dos lábios, para quem gosta da combinação dá para adaptar.

Metalizado

As sombras metalizadas nunca saem de moda, mas agora estão com força total. Gloria Coelho escolheu uma sombra prateada para marcar o côncavo. Alexandre Herchcovitch apostou no delineador dourado com glitter, metalizado discreto. Enquanto André Lima levou às passarelas umas das makes mais bonitas da temporada, toda trabalhada na mistura da sombra cobre com a marrom brilhosa para compor o look e marcar o olhar.

Marrom

Marrom é um clássico, e agora que está super em alta na estação dominou boa parte das maquiagens. Huis Clos apostou no velho e bom olho esfumado, enquanto a Cori usou a cor num visual mais moderninho com a sombra bem marcadinha misturada com um toque de sombra prata na parte interna para dar uma iluminada. A Animale foi um caso aparte, essa make enlouqueceu a mulherada, um Smokey eyes de respeito, bem dramático, de preto, marrom médio na parte de cima e marom escuro na debaixo, com direito a cílios postiços bem volumosos e muito rímel. (Antes que falem, não postei a da Rosie Huntington-Witley pois a maquiagem foi feita especialmente para ela.)


Delineador

Delineador é um clássico, sempre cai bem com qualquer pessoa ou qualquer cor de batom, principalmente com os mais intensos ou escuros. A Cavalera touxe um delineado estilo anos 50 mais exagerado, lembrando bastante Amy Winehouse. Já o traço no desfile As filha de Gaia lembra os olhos orientais usado junto com um esfumado marrom e batom vermelho e gloss. O delineado da Neon bem dramático, marcado e inconfundível, estilo Cleópatra na interpretação de Elizabeth Taylor, variando a cor da sombra e do batom. 

Preto

E finalmente os meu preferido, o olho pretão. Mais um clássico, olho desejo de todas as mulheres, completa um look sensual, poderoso e marcante. Bianca Marques apostou nukm Cat Eyes marcado por delineador e esfumado na parte de baixo, super adaptável. Reinaldo Lourenço apostou numa sombra preta opaca e usada sozinha, marcando o "V" externo. Samuel Cirnansck foi o mais dramático, claro que só funciona na passarela, mas serve de inspiração pela mistura do preto com o cinza chumbo metalizado, que confere um efeito iluminado único ao olhar e foge dos olhos pretos comuns.

Ufa! Post grande, né? Mas super importante para quem curte maquiagem e quer serguir as tendências. O legal não é copiar, é ficar ligada nos estilos, acabamentos e cores e misturá-los até chegar a um make só seu. 

Beijos,


25 de janeiro de 2012

SPFW: Sexto dia

Olá queridas,
Infelizmente chegou ao fim mais uma edição do São Paulo Fashion Week, e mais cinco marcas cruzaram as passarelas. Mais um dia bastante conceitual, que contou com Neon, Fernanda Yamamoto, Amapô e André Lima. Para completar Alexandre Herchcovitch com sua linha masculina. 

Neon sugiu mais uma vez com suas cores fortes, como é a cara da marca. Levou à passarela uma silhueta bem marcada com adição de volumes pontuais. Inspirados nas paisagens de Istambul surgiram as cores como blocos e as estampas. Vimos mistura de azul e rosa, laranja com bordô.

Bela mistura de cores, a marca trouxe um inverno bem alegre e vibrante e principalmente sensual na medida certa, com seu tubinhos e tomara que caias.


A estilista Fernanda Yamamoto se inspirou no renascimento, e o trouxe de encontro com as cidades, formando look mais urbanos e modernos. O renascimento em si podemos ver nas estampas e principalmente na catela de cores escolhida, como verde musgo, azul acinzentado, marrom com preto, bege e um toque sutil de laranja em algumas peças. A silhueta mais fluida, com tecido mais encorpados que conferiam o volume e amplitude dos modelos, principalmente das saias. 

Estampas bem interessantes, e a mistura do antigo com moderno.

Alexandre Herchcovitch subiu novamente na passarela do Fashion Week, mas desta vez com sua coleção voltada ao público masculino. Bem diferente da coleção feminina, esta teve a predominância de cores frias, as neutras preto e branco e vários tons de azul, que combinavam entre si. Inspirado no judaísmo ortodoxo o estilista mostrou modernos rabinos, muita alfaiataria, sobreposições, volumes e o mais inusitado, franjas.

O estilista trouxe um inverno bem quentinho mas ao mesmo tempo elegante. Cortes muito bem feitos em calças mais curtas e casacos mais amplos. 

O desfile mais conceitual do dia, seguindo a identidade da marca as roupas apareceram bem incomuns, que apareciam mais obras de arte. Roupas extremamente estruturadas, com muitos recortes inusitados, mostrando do lado de fora as "armações" dos vestidos. Muita transparência, brilho e principalmente mistura de cores. Pode-se notar uma influencia dos anos 90 mistuarada a um certo toque de futurismo.

Interessante o modo como foram utilizados os recortes e a mistura de cores com os tons neutros. Os looks ficaram inusitados, elaborados sem ficar over.

Um desfile extravagante e extremamente luxuoso, repleto de tecidos brilhosos, babados e muito volume. A silhueta brinca com o justíssimo e o volume, sempre dando foco a cintura, seus looks chamavam sempre a atenção para a feminilidade do corpo e sua curvas. O couro dos cintos e o peso das botas contrastavam com a leveza dos tecidos e dos cortes das saias.

Encerrou com maestria o ultimo dia de desfiles, suntuosos modelos roubaram a cena do dia, muito tudo deixou a coleção diferente e desejável.

Então, amanhã voltamos com a nossa programação normal, muitos makes e dicas novamente para vocês. Agora só esperar até a semana de moda de Nova York começar. 

Beijos,

24 de janeiro de 2012

SPFW: Quinto dia

Penúltimo dia de desfiles, caracterizado por ter desfiles bastante conceituais, mais que os demais dias. Trazendo muito preto e muito couro mais uma vez às passarelas. Temos grandes nomes da moda brasileira como Gloria Coelho, Lino Villaventura e Maria Bonita com os desfiles mais conceituais, João Pimenta vem com sua moda masculina e a estreante Uma por Raquel Davidowicz com looks para todas as idades.

Gloria Coelho abriu o dia de desfiles com uma coleção repleta de couro, transparência, cores neutras, tudo isto inspirado em vulcões e partrículas subatômicas. Os comprimentos variam, hora a saia aparece super curtas e justas e hora na altura dos joelhos com babados. O couro se mescla com o veludo e com a seda. A silhueta bem marcada, cortes geométricos e retos, com detalhes amplos levam aos looks um ar futurista. 

Achei bem interessante essa mistura de detalhes bem femininos com o futurismo. E o couro junto com transparências, formando belas sobreposições. 

A Maria Bonita levou um tema bem brasileiro à passarela, inspirado novo povo do agreste e nas populações rebeirinhas. Isto se refletiu na cartela de cores, e em toda a atmosfera do desfile, como em cenário e música. Pode-se ver modelagens bastante masculinas e comprimentos midi. Nas cores se via a mistura de tons de verde, água, caqui e oliva, com bastante caramelo e marrom. Outros aspectos que remete a brasilidade são as rendas, aplicações e estampas de paisagens. Tudo incrivelmente amarradinho. 

 Mais que um desfile, um conceito completamente trabalhado em todos os aspectos. Nos leva a uma viagem a inspiração que deu origem aquela coleção. 

A estilista Raquel Davidowicz trouxe uma coleção para mulheres de diferentes idades. Muita alfaiataria ou peças mais esportivas dão a cara aos looks, a silhueta mais larguinha levemente ajustada em certos pontos são outra características fortes. Na cartela de cor muito preto e variações do vermelho, como vinho, bordô e vermelho vivo, em menor quantidade podemos ver o cinza e até o branco, em tecidos como sarja encerada e microfibra.

Interessante de criar roupas versáteis, que cabem em vários estilos e várias idades.

Pode-se assistir a um desfile repleto de belos vilões, oriundos do submundo gótico misturado a uma atmosfera do século XIX. Bastante couro, veludo, cores escuras, coturnos, máscaras, tudo contribuiu para essa atmosfera mais dark da coleção. 

Há poucos representantes da moda masculina no país, principalmente que faça um trabalho tão rico e bem feito. É importante valorizarmos tais marcas e ficarmos de olho neste mercado. 

Um dos desfiles mais falados da temporada e um dos mais conceituais também. Dark e sombrio inspirado em Francis Bacon. O desfile contou com bastante preto em seu looks, mas que logo foi quebrado por cores mais vivas em muitos bordado, estamoas e aplicações de pedrarias. Tudo muito luxuoso, incluindo os tecidos como veludo e organza, além de muitos criatais que conferiam o brilho da realeza. 

Tudo que é dark me encanta, principalmente quando é ligado a inspirações na realeza européia. Lindos os volumes nos ombros e os cortes das saias esvoaçantes.

Que pena, já vai terminar mais esta edição do São Paulo Fashion Week, mas amanhã tem mais post com o último dia do evento. 

Beijos,

23 de janeiro de 2012

SPFW: Quarto dia

Olá!
Quarto dia de desfiles com grandes marcas cruzando as passarelas, Cavalera, Jefferson Kulig, FH por Fause Haten, Juliana Jabour e Colcci. Um dia bem heterogêneo, com desfile bastante diversificados. Vamos conferir? 

 Cavalera abriu o dia de desfiles levando seus Cowboys urbanos à estação da luz, em São Paulo. Foi um desfile batante colorido e com muitas estampas, se destacaram o verde militar, vermelho, azul e o preto. Destaque para o jeans resinado imitando couro, veludo, moletom e muita malha. Os comprimentos apareceram mais curtos nas saias e vestidos quanto nas calças. 

Gostei da inspiração e como foi trabalhada. As estampas coloridas constrastando com o preto foi bem interessante. Outra coisa que me chamou atenção foram as modelagens das calças jeans, sequinhas e mais curtas.


 Jefferson se inspirou na tentativa de trazer o campo para a cidade, ou seja, misturou as cores e elementos do campo com a tecnologia das cidades. As modelagens todas bem soltinhas, exceto pelas calças, que bem justas faziam um contraponto com as blusas mais amplas. O inverno veio leve, com muitas cores em tom pastel, como o rosa, verde e amarelo, e com tecidos como sedas, musseline e organza.

Gostei deste inverno leve, com modelagens larguinhas, uma boa alternativa para nosso inverno brasileiro que nao é tão rigoroso. 

 Luxo, foi a palavra que definiu o desfile da marca, que se inpirou em filmes de Elvis Presley . O brilho da seda e transparências marcaram o desfile, junto com peles e bordados e amarrações. A cartela de cores fugiu do óbvio, apresentando bastante verde esmeralda e uva como colorido que contrasta com o preto. O comprimento midi veio com força, tanto nos vestidos mais justos, quanto naqueles com mais volumes. 

Uma coleção tão glamourosa não tem como não se encantar, trás as passarelas as divas do cinema dos anos 60, muito brilho, cortes e caimentos inusitados dão o toque especial à coleção.

Muito jacquard, tricô, tweed, lurex e crepe misturado a cores vivas como o laranja, azul e amarelo e cores neutras como nude e preto nos levam à atmosfera do filme "Viagem a Darjeeling”. As silhuetas variam entre as mais fluidas e as mais justas, muitas claramente inspiradas no anos 60. 

Gostei muito do uso do tweed e das silhuetas, principalmente dos casacos e jaquetas.

 Segundo a própria marca a inspiração foi no “Oriente Express sofisticado”. O tema foi trabalhado através de muito couro, tricôs e alfaiataria. Marrons, caramelo, uva, verde oliva, cinza e laranja foram as cores que predominaram. As saias apareceram na altura dos joelhos, já os shorts bem curtinhos.

Eita marca pra gostar de uma xadrez, nossa, desde que eu conheço a Colcci ela essa padronagem em pelo menos alguma coisa. Sinceramente, a coleção que vai pra loja duvido muito que as saias sejam predominantes neste comprimento. Acho que fugiu um pouco da identidade da marca, parece voltado para uma mulher mais madura, enquanto o publico alvo é o mais jovem. Mas enfim, gostei da cartela do cor, e do uso do couro.

Até a próxima.

Beijos,


22 de janeiro de 2012

SPFW: Terceiro dia

Hey Girls,
Terceiro dia de desfiles, pudemos encontrar desfiles bem diferentes, mas que se assemelham em um aspecto, todos bem escuros. O couro também predominou nas criações dos estilistas, e mais um vez vimos bastante transparências cruzarem as passarelas. Vamos às fotos?

Reinaldo Lourenço foi mais um estilista a se inspirar no estilo gótico, levando às passarelas bruxas modernas e urbanas. Bem trabalhada a inspiração deu origem à uma coleção cheia de couro, peles e transparência. A atmosferas escura predominou, com muito preto, que foi quebrado por algumas cores como o vermelho, e alguns looks mais claros, compostos por estampas que mesclavam as cores azul, verde e laranja.

Admiro muito o estilista. Gostei da mistura dos couros com peles e transparências, curti mais os looks monocromáticos em preto.

A marca misturou heavy metal com os vikings, o que deu origem a uma coleção repleta de couro, fivelas e brilho. Os cortes retos predominaram, enquanto o comprimento variava, entre saias mais compridas e hot pants. O preto foi a cor chave do desfile, sempre complementado por alguns looks monocromáticos de laranja bem vivo, ou da mistura do camel com brilho metalizado.

Novamente couro, e eu adorando as peças. O corte das peças de couro reto as deixaram mais interessante. A mistura de materiais também chamou a minha atenção, de tudo um pouco, metalizado, paetê, pele e renda.

O desfile de Mario Queiroz misturou Art Deco com futurismo, levando um desfile clássico e sóbrio à passarela. As peças exibiram muitas sobreposições e uma silhueta extremamente larga. A cartela de cores teve destaque do cinza e suas variante, com laranja, bordô e azul. Os tecidos bem pesados, muita lã, jacquard e veludo.

Não me agraram muitas sobreposições, acho que fica confuso, muitas peças largas e juntas não me agradam visualmente. Mas curti o uso do cinza, e das estampas.

A estilista levou ao seu desfile roupas inspiradas nas lingeries vintage, e nos seus cortes. A cartela de cores ficou bem neutra entre tons de cinza, caramelo e bege. Os corte precisos e minimalistas ganharam uma aparência mais romântica com tecidos leves, ou em rendas nos tecidos mais pesados. A silhueta mais fluida sempre acinturada.

Adorei as aplicações de renda, o comprimentos misturados às silhuetas mais larguinhas bem marcadas na cintura.

Muito brilho e transparências foram o modo do estilista de traduzir a sua inspiração nas jóias, tranformando suas roupas em uma. Apresentou uma silhueta bem marcada, saias rabo de peixe longas ou midi. Muitos borados e detalhes em pedrarias tiraram a necessidade de cores, o branco foi predominante, seguido do preto com prata, com alguns looks mostarda. 

Sou suspeita pra falar, pois amo o trabalho do estilista, sempre confeccionando vestidos lindos, misturando o romantico com o dark. Ninguém trabalha tão bem com transparências e brilhos como ele.

Amanhã tem mais. 

Beijos,


21 de janeiro de 2012

SPFW: Segundo dia

Olá meninas,
mais um dia da São Paulo Fashion Week, achei um dia super interessante, bastante coisa conceitual, o que me agrada. Vale a pena conferir o desfile das cinco marcas que cruzaram as passarelas hoje, que foram: Pedro Lourenço, R.Rosner, Alexandre Herchcovitch, Iódice e Triton. Vamos lá?

A inspiração surgiu de uma viagem do estilista ao Chile, refletido principalmente nas muitas estampas que apareceram na passarela. As cores predominantes foram gelo, nude, azul, preto e vinho em jersey, nylon, gabardine e um pouco de couro. A silhueta aparece mais reta e enxuta, destacando o corte geométrico das peças, o comprimento predominante foi o midi. 

Não curti muito a cartela de cores, frias demais, mesmo sendo o que o estilista queria passar. Já a forma geométrica me atraiu, deixou os looks bem modernos e andróginos.

O desfile mais conceitual até agora, onde a inspiração saiu de um livro que o estilista leu sobre borboletas, as quais ele explorou o lado mais dark. Muitos tecidos fluidos e leves, principalmente nos longos, bastante transparência junto com muito brilho de pedrarias e bordados. As cores foram bem básicas, na maioria da coleção viu-se o preto e off white, já nas cores se destacou o azul e a mistura de amarelo e roxo. 

Amo coisas assim, mais conceituais e principalmente quando misturam um pouco de romantismo com o dark. Gostaria de ter visto de perto para apreciar cada bordado e cada detalhe. Lindo!

Desfile feminino do estilista focou numa cartela de cores bem diferente do que temos visto por aqui. Nada de preto, mas sim tons terrosos como marrom, camel e laranja, trazendo um inverno bem quente. O estilista fez no exagero dos tecidos como bordados e metálicos um contraponto a silhueta mais reta e minimalista. 

Difícil não gostar, achei legal a mistura de materiais, como o cashmere junto com nylon e couro dourado. Longe do óbvio. 

O mais comercial da noite, mas não menos interessante. Waldemar Iodice trouxe um inverno Rocker bem glamouroso. Muito brilho em tecidos como o jersey metalizado e lurex, misturados ao brilho de bordados e pedrarias. Poucas estampas, como a de cobra, mas muito detalhes como franjas e aplicações. A cartela de cores foi bem grande, um pouco de cada, cobre, azul, amarelo, laranja, off white, tudo arrematado pelo preto.

Adorei, quero todas as peças. Apesar de bem trabalhada essa atmosfera meio rocker e meio glam sempre rende belas roupas, sensuais e com atitude.

A estilista trouxe para a passarela imagens européias como vitrais de irejas como a de Notre Dame e na arte medieval. A silhueta bem reta, seca e andrógina. Estampas geométricas e maxi dando forma a roupa ou mini formando texturas. Tecidos pesados se destacaram bordados com canutilhos, em cores como azul, amarelo e laranja, sempre acompanhadas do preto.

Gostei bastante da inspiração e das estampas que saíram dela. 

Adorei este dia de desfiles, tudo muito bonito e interessante.

Beijos,

SPFW: Primeiro dia

Olá meninas, 
mal respiramos do Fashion Rio, já começou a São Paulo Fashion Week, a semana de moda mais importante do país. Onde desfilam as principais marcas e se consodolidam as tendências. Para abrir  a semana quatro grifes desfilaram, Animale, Tufi Duek, Cori e Osklen. Vamos conferir?

Mais uma inspiração étnica nos desfiles de inverno, dessa vez em peças russas antigas. A grife trouxe muito brilho em veludos e bastante transparência em tecidos fluidos e leves. Os comprimentos mais longos que vimos no fashion Rio, já as cores já foram bem vistas, preto, off-white, amarelo e vermelho.

Curti o desfile, a volta do veludo e a força ainda da transparência.

Inspirado na Lua, e no estilista Thierry Mugler nos anos 80 com um pouco de sportwear o estilista responsável pela marca trouxe um inverno com poucas cores, porém muito brilho de paetês. Tons de verde oliva, preto e off white são udados em modelagens estruturadas com volumes pontuais em uma silhueta sequinha.

Curti a silhueta mais ajustada, principalmente na cintura, e os volumes nas barras das saias ou no ombro.


O hipismo foi a clara inspiração da coleção de inverno da Cori, muita alfaiataria, detalhes de couro e silhueta bem ajustada ao corpo, com alguns detalhes um pouco mais fluidos. Nas cores encontramos um pouco de verde oliva e camel, looks monocromáticos de azul, já o preto e off white em bastante quantidade. Lã e algodão compuseram a maioria dos looks, junto com complementos de couro. 

A silhueta justa com cintura bem marcada. Gostei muito dos cintos de couro.

A Osklen levou bastante cor a passarela, verde, azul e laranja compuseram os looks. Tecidos ecológicos foram os maiores destaques, principalmente os couros. Tudo inspirado na propria experiencia do estilista como embaixador da Unesco na Conferência das Nações Unidas RIO + 20. Aqui podemos já ver os comprimentos mais curtinhos e as silhuetas mais largas. 

Legal a iniciativas de usar materiais sustentáveis. 

E aí, curtiram?

Beijos,

16 de janeiro de 2012

Globo de Ouro 2012

Olá meninas, 
Ontem rolou uma das premiações mais importantes do entretenimento, ou seja, muitas celebridades cruzando o red carpet com vestidos maravilhosos, e outros nem tanto assim. Mas vale ficar de olho para se inpirar nos acertos e evitar os erros. 
Escolhi alguns dos modelos que mais chamaram a minha atenção, claro que ficaram muitos de fora, pois se não o post não teria fim. Então vamos aos looks?

Curti
Lea Michele- Está cada vez mais diva e mais linda. Não foi de seus melhores modelos, mas curti bastante este Marchesa, para ela que é jovem e bem magrinha. Curti a transparência e o bordado, beirando o over, mas caiu bem na ariz.

Mila Kunis- Outra atriz que costuma sempre acertar na produção. Estava simples e linda neste Dior preto, leve, que brinca com a tranparência. 

Kate Winslet- Sóbria e linda num modelo Jenny Packham que usa o contraste clássico do preto e branco. A atriz ficou elegante e valorizou a sua beleza madura. 

Helen Mirren- Para provar que mulheres mais velhas também podem ousar. Em um vestido Badgley Mischika com saia texturada ampla, acinturada por um cinto de pedras que combinava com sua clutch.

Amber Riley- Prova que as gordinhas não precisam se esconder, há modelos interessantes para todos os tipos de corpo. A modelagem deste vestido Badgley Mischika justa na parte de cima seguindo reta para baixo valorizou o corpo da atriz. 

Kate Backinsale- A atriz escolheu um modelo Roberto Cavalli bem clássico, saia rabo de peixe com um tomara que caia estruturado com uma cor neutra e muito brilho nos bordados. Vemos isto em quase todo tapete vermelho.

Sofia Vergara- Sempre sexy em modelos justo que valorizam suas curvas, como este Vera Wang, com saia rabo de peixe texturada que confere o diferencial, num belo azul perfeito para a pele morena da atriz.

Sarah Hyland- Não a conheço, mas amei este Dolce & Gabanna meigo e diferente. Interessante o constraste dos dois tipos de renda, a clarinha no vestido todo e a preta destacando a cintura e contrastando com o resto. Simplesmente lindo e jovial.

Não curti

Dianna Agron- Sempre bonita, anda dando umas vaciladas. Não curto o excesso de babados de renda deste modelo Giles. Lindo na parte de cima, mas ficou volumoso e over.

Julianne Moore- Alguém me responde que vestido é esse? Esmagou os seios da atriz, ela ficou completamente reta com esse Chanel. E esses babados em cima bringando com os debaixo? Sem seios, sem cintura e com as pernas estranhas devido a uma quadril gigante.

Salma Hayek- Amo a beleza exótica da atriz, mas este vestido Gucci não valorizou. Interessante a parte de cima do tomara que caia com estampa étnica, mas não casou com essa saia também brilhosa com listras. Não foi dos piores, mas não curti.

Tina Fey- Belo Oscar de la renta, mas que não ornou com o corpo da atriz, que tem os quadris muito largos. Este volume até o meio das coxas e a parte de cima muito justa a engordaram demais. 

Os mehores
Angelina Jolie- Está certo que é linda, mas sempre a vejo com os vestidos muito parecidos. Nem acreditei que a atriz escolheu um Versace pérola com detalhes em vermelho cereja. A fenda, o drapeado, o decote alto valorizou muito uma das mulheres mais lindas do mundo.

Evan Rachel Wood- Um Gucci, foi o vestido mais bonito que passou pelo red carpet. Ousado, misturando transparência, brilho e texturas, como paetês, escamas e penas de pavão, em um verde esmeralda num fundo preto. Perfeito!

Emma Stone- Excelente Lanvin, inovou no shape, com uma silhueta bem fluida, com tecido esvoaçante, leve e transparente, ajustado à cintura por um cinto mais pesado, combinando com a clutch e sandálias, ambos pretos.

Ellen MacPherson- Ficou linda com um modelo Zac posen, com top estruturado cheio de recortes, num rabo de peixe que abre com babados de tule. Tinha tudo para ser comum, mas ficou super diferente.

Ainda tem outros modelos bem bonitos e interessantes, como os de Nicole Kidman, Michelle Williams, Natalie Portman, etc. Vale a pena a conferir.

Qual foram os preferidos de vocês?

Beijos,

15 de janeiro de 2012

Fashion Rio: Quinto dia

Olá meninas, 
ontem foi o quinto e último desfile desta temporada do Fashio Rio, cinco marcar desfilaram, estas foram Giulia Borges, Nica Kessler, Andrea Marques, Oestudio e Ausländer. O último dia de desfiles foi bastante diversificado, vamos conferir?

A marca levou um inverno rock glam para a passarela. A cor preto predominou nos looks, monocromáticos ou misturados com o branco. Já o colorido se restringiu a algumas peças laranja ou amarelas, com um fundo fluo. O comprimento em sua maioria veio micro, as roupas cheias de recortes e/ou transparências que conferiam sensualidade. Outra tendência bem evidente foram os cropped tops, ou seja, bastante barriguinha de fora.

Eu: Adorei os recortes nas peças, a barriga de fora de uma maneira bonita e não vulgar. As saias e vestidos me agradaram muito, pois equilibram o comprimento mais curtinho com a modelagem mais soltinha, valoriza as pernas.

Mais uma marca que focou em uma etnia como inspiração, misturou o urbano com a cultura dos índios Delaware. Com isso touxe muitas estampas e uma cartela de cores com os tons terrosos, o colorido ficou a cargo da dupla mais vista por aqui azul + laranja, mas neste caso, dois tons de azul apareceram por aqui. tecidos mais grossos contrastam com os mais leves em blusas e vestidos.

Eu: Gostei das estampas e das blusas com tecidos leves, tem um belo caimento.

O inverno de Andrea Marques teve a cartela de cores pequena e mais sóbria, preto, branco, caramelo foram as cores que mais apareceram, hora pontuadas por algum laranja ou azul. O estilo ladylike predominou, misturando o romantismo dos tecidos esvoaçantes com a sobriedade e corte reto de tecidos mais pesados como o couro. 

Eu: Sou suspeita para falar, pois amo qualquer peça que tende para o ladylike, me encantei pelos laços e pelos vestidos com saias fluidas.

A marca levou as passarelas um estilo totalmente urban cool, com inspiração e referências artsy. A silhueta mais folgada dava um ar de conforto, cheia de amarrações como detalhes principais. As estampas exibiram um colorido intenso e contrastante, principalmente com o preto, o tom neutro que completava grande parte dos looks.

Eu: Gostei do uso das cores, e a eleição do preto como o único tom neutro e complementar. Todas as roupas me passaram a mesma sensação se ser despojada e despretensiosa, os seja, muito cool mesmo.

Com uma atmosfera grunge a grife fechou o evento levando um inverno bem quente e confortável. Nos casacos muito tecidos grossos como tweed, tricô e cobertores caseiros, contrastando com tecidos mais leves e transparentes em blusas ou vestidos. Os comprimentos variavam do bem curto e ousado aos mais comportados. As cores foram bem sóbrias como o caramelo, off white e preto, sendo coloridos no máximo por um vermelho mais fechado. 

Eu: Adoro a marca, e acho que o inverno combina com uma pegada meio rock e meio grunge. Fico feliz de não ter visto nenhum azul ou laranja. Fez um inverno com cara de inverno. 

Então é isso, 
amanhã volto aqui com o balanço geral do evento, e as tendências que podemos de fato tirar das passarelas para o dia a dia. 

Beijos,